Dream People

Almost Young
2021 | Edição de Autor | Post-Punk

Partilha com os teus amigos

Depois de se estrearem com “Soft Violence“, e de se apresentarem em festivais emblemáticos como o Festival Vodafone Paredes de Coura (Sobe à Vila), os Dream People editaram em Março o seu segundo disco, “Almost Young“, álbum acima de tudo dialético. Um exercício assumido de chiaroscuro musical, em que a leveza e o amor coabitam com a dor, a perda e a solidão, muitas vezes dentro do invólucro de uma só canção. Os Dream People não renunciam a mostrar as várias cores e dimensões das suas canções, mesmo que isso implique músicas de maior duração. É aí que reside a profundidade de seu trabalho.

#1 People Think

A “People Think” é o primeiro single do disco. É a música mais “comercial” do disco, mas também das que tem a mensagem mais dura, como uma suave festa que ao chegar à cara decide transformar-se numa chapada. É, no fundo, a irmã moderna e florescente da Putos de Portugal, música do nosso primeiro EP. Primeiro sente-se, dança-se, abana-se o capacete, depois atenta-se na letra e percebe-se que, na verdade, estamos a ser rasteirados pela nossa mediocridade. É a vida.

#2 Suburban Lifestyle Dream

Uma prima afastada da Putos de Portugal. Prosseguimos na mesma onda confrontativa que um dia ainda nos vai render insultos ou legumes frescos na face durante um concerto. A ideia inicial era bem menos ‘punky’ – era quase eletrónica – mas durante a produção entendemos que devia ganhar músculo. Todo este estilo de fazer letras contra o que é “normal” e chato na vida acaba por espelhar as fases da vida em que estamos: mudando a pele, passando para o “mundo dos adultos” e vendo aterrados as multidões olhos vazios que populam este novo mundo. Trivia: o nome “Suburban Lifestyle Dream” vem de um tweet de Donald Trump. Este:

#3 Talking of Love

A Talking of Love é uma música que mistura várias influências e que fala acima de tudo sobre liberdade, metendo lá no meio sexualidade e religião. A ideia inicial partiu das mãos do Nuno e acabou depois por ser esculpida em conjunto o resto da banda. É uma música feita de várias moods, cores e dimensões diferentes e é isso que a torna interessante: do início mecânico e quadrado – remetendo para uma espécie de linha de montagem onde seres iguais são montados, empacotados e despachados – ao fim etéreo, descreve-se uma espécie de revolução cultural, uma jornada em busca do amor próprio, um caminho para a liberdade individual, onde pelo caminho são “rebentados” todos os espartilhos que nos impedem de lá chegar. É a nossa primeira música assumidamente ateia.

#4 I Knew Everything About You

A IKEA é uma balada musculada. A ideia inicial surgiu do Francisco e era para ser uma música calminha e agradável, uma suave carícia no ouvido do público. Mas chegaram Bernardo e Nuno e num dia, quem sabe, mais inspirado, decidiram dar esteroides à balada. E assim foi. A música é construída como a história de uma relação. A primeira parte descreve o início de um grande amor. Na segunda parte o relacionamento deteriora-se e num final com algumas influências de Jeff Buckley tudo acaba numa explosão de dor e mágoa. No final, ficamos sozinhos, sabendo tudo sobre quem já não está lá.

#5 Almost Young

A Almost Young a música que dá o nome ao disco e com razão: é exatamente aqui que estamos na vida e, na verdade, é este o tema de todas as nossas músicas: a perda da juventude, a angústia de se ser quase jovem, mas não se poder voltar a sê-lo. O medo de mudar de pele, o medo de nos perdermos no caminho. ‘Almost Young’ é uma música e um disco sobre o fim de uma era, sobre deixar para trás uma etapa de vida a que toda a gente, mesmo que não o diga, gostava de poder voltar. “Ah quando eu era miú[email protected]”. Estamos a ficar mais velhos e apesar de o assumirmos com naturalidade, há uma camada bem grande de melancolia que fica bem espelhada nesta música. A ideia partiu do Francisco mas parava depois de dois refrões. Um dia o Bernardo fartou-se e, brandindo graciosamente a sua guitarra, criou a épica sequência final.


sobre o autor

Arte-Factos

A Arte-Factos é uma revista online fundada em Abril de 2010 por um grupo de jovens interessados em cultura. (Ver mais artigos)

Partilha com os teus amigos