MENUMENU
Partilha com os teus amigos
Molly’s Game
Título Português: Jogo da Alta Roda | Ano: 2017 | Duração: 140m | Género: Biografia, Drama
País: Estados Unidos | Realizador: Aaron Sorkin | Elenco: Jessica Chastain, Idris Elba, Kevin Costner, Michael Cera

Um ano depois, a extraordinária Jessica Chastain volta a interpretar uma mulher com muitas semelhanças com Miss Sloane: ambiciosa, enigmática, solitária, workaholic e no fio da navalha, entre o céu e o abismo. Mas a complexidade que havia no surpreendente filme de John Madden está aqui praticamente ausente. E o tom misterioso  e de suspense que suporta grande parte deste Jogo da Alta Roda despedaça-se na parte final, qual castelo de cartas.

Molly é uma antiga esquiadora de alta competição que, após uma queda, decide começar um percurso profissional do zero. Por um mero acaso, por estar no sítio certo na hora certa (ou errada), torna-se a principal organizadora de jogos clandestinos de poker, envolvendo nomes mediáticos de Hollywood e Nova Iorque. Os problemas começam quando deixa de viver apenas das gorjetas chorudas e começa a cobrar comissões, infringindo a lei, e quando se cruza com a mafia russa.

Jogo da Alta Roda está construído para ser uma espécie de espelho entre os vários momentos da vida: a exigência do pai durante os anos de esquiadora, a ascensão de Molly no poker e a queda nos meandros da justiça. O filme vai alternando entre os vários períodos temporais, mas só a parte do poker parece bem construída, com bons ganchos e bons números de entretenimento. A parte familiar é superficial, pouco convincente e não nos chega a transportar para o drama interior de Molly, faltando espessura dramática à personagem do pai, interpretada por Kevin Costner. E a parte da justiça não só faz uma metáfora com a filha do advogado, como desemboca numa espécie de moralismo barato de integridade e consciência.

Jogo da Alta Roda marca a estreia na realização de Aaron Sorkin, o argumentista de A Rede Social ou Steve Jobs. Duas histórias que, tal como esta (apesar de Molly Bloom ser bem menos conhecida), falam da ascensão mediática, com maior ou menor queda, de uma figura real. Mas falta aqui o equilíbrio narrativo do biopic sobre o criador do Facebook e a criatividade e força das personagens do filme sobre a lenda da Apple. Passa-se um bocado entretido, mas esperava-se muito mais.

Filme exibido no LEFFEST – Lisbon & Sintra Film Festival


sobre o autor

Joao Torgal

Partilha com os teus amigos