Louvado Abismo

Louvado Abismo
2024 | Half Beast Records | Rock/metal industrial, Deathrock, Pós-punk

Partilha com os teus amigos

O nome é novo mas olhamos aos currículos e o que não falta neste agrupamento é experiência. E são referências riquíssimas dentro do nosso underground. Tudo junto, deve sair um rico de um caldeirão, uma mistela medonha. Nada disso, é mais estranho ainda, uma autêntica trip por entre medos e outras emoções mais ambíguas. Saltemos, à confiança, para este “Louvado Abismo” a ver se vale a pena a adrenalina.

Se vale. É um disco experimental, mas com pés e cabeça, uma verdadeira abordagem ao agressivo e o bruto sem ser apenas auto-indulgência, o ser estranho por ser estranho. Plantam sementes de pós-punk e regam-nas de um rude industrial. Se Kiling Joke e Godflesh são referências que vos ocorrem, são acertadas. Mas vai além disso e até do principal diapasão, que será Christian Death. É uma assombração de categoria semelhante, mas não se fica por aí. Não tem medo de ser pesado, de nos arrastar lá para o abismo à bruta. A faixa-título entra logo a matar – estar cá a pedir licença ou coisa que o valha é que não – e, com um peso de puxar sorrisos aos Bizarra Locomotiva, traz um riff que parece que a “Barracuda” foi submergida em lodo. A voz de Patrícia Andrade ecoa e com umas melodias de se cantar em “gang,” que nos faz pensar se é assim que soam os Lindi Martini numa quinta dimensão.

Damos nós por uma barreira. Já estamos a disparatar. Aquele tipo de disparate de tentar situar algo, procurar referências e saírem as mais estapafúrdias analogias. Aqui é mesmo bom sinal. A dificuldade que temos em comparar isto, é porque sente-se mesmo que muito do que está aqui ouvimos pela primeira vez. Se ainda não tinham banda de deathrock portuguesa de eleição, os Louvado Abismo são uma boa sugestão mas tenham atenção. Não são lá das mais ortodoxas. Das mais originais, sim. Das que mais nos puxam de um lado masoquista, quando nos castiga com secções ruidosas, confunde-nos com as embaladoras melodias, e ainda nos faz pedir por mais. “Corrida Lenta” será a canção mais pesada que os Swans ainda não fizeram, “Espuma” é heavy metal que mutou num laboratório e isso está tudo só na primeira metade. Há mais disparates para inventar a cada tentativa de penetrar por estas canções dentro, em negação de que são elas a perfurar-nos a nós. Uma experiência. Louvado seja o raio do abismo. Há mais?

Músicas em destaque:

Louvado Abismo, Espuma, Dois Sois

És capaz de gostar também de:

Christian Death, Swans, Bizarra Locomotiva


sobre o autor

Christopher Monteiro

Partilha com os teus amigos