Reportagem


Anderson .Paak & The Free Nationals

O melhor espectáculo que este SBSR até agora viu

Super Bock Super Rock

20/07/2018


Quando é que o Anderson .Paak volta a Portugal para um concerto em nome próprio? É porque estes teasers estão-nos a matar. Se a primeira parte que fez há ano para Bruno Mars já tinha sido sabido a pouco, ontem ter de abandonar a Altice Arena após apenas uma hora e picos do melhor espectáculo que este Super Bock Super Rock até agora viu foi só maldade.

Ao segundo dia de festival parece-nos que, até agora, estão a ser os artistas com as melhores vibes e os sorrisos mais honestos que estão a levar a melhor. Se no primeiro dia os The Vaccines nos tiraram um peso de cima que nem sequer sabíamos que tínhamos, ontem Anderson .Paak e a sua banda de luxo os The Free Nationals carregaram-nos as baterias com uma energia positiva que é capaz de durar até à próxima desilusão da nossa selecção.

Aos olhos do americano nós também estamos mais bonitos desde a sua última visita a Portugal, “Lisbon you’re looking better this year than last year, are you making more money?” São os teus olhos que te estão a enganar Anderson, na verdade nós estamos é muito felizes com a tua visita, deixemos o resto de lado que em época de festivais ninguém gosta de falar em economia.

Antes de assumir a bateria no final de “Bubblin'”, Anderson .Paak começou por incendiar a noite com uma mistura de correrias, saltos arriscados e passes de dança sensuais, ao som de “Come Down”, “The Waters” e “Glowed Up” (já agora queridas promotoras quando é que pensam também trazer KAYTRANADA a Portugal?).

Ser-se frontman e baterista não é tarefa fácil, mas Anderson .Paak consegue fazê-lo com uma facilidade escandalosa. E foi desde a bateria que conseguiu em “The Season / Carry Me” organizar no público um mosh pit fazendo com cuidado e atenção às ladies presentes (sim é oficial o fenómeno de pedir mosh pits em concertos de hip hop). E foi da bateria que colocou toda a gente a cantar “I think I luh you”.

Claro que Anderson .Paak não fez tudo isto sozinho, só nas teclas e nos falsetes Ron Avant roubou por diversas vezes a noite. E também não há festa que se faça sozinha e ontem havia pelo Super Bock Super Rock muita vontade de dançar. Caso para dizer que com o californiano juntou-se a fome à vontade de comer. Só queremos é que da próxima seja possível repetir o prato.

Galeria


(Fotos por Hugo Rodrigues)

sobre o autor

Vera Brito

Partilha com os teus amigos