The Deuce: primeiras impressões

por Isabel Leirós em 4 Outubro, 2017 © HBO, The Deuce

The Deuce é a nova aposta da HBO para as noites de Domingo, um horário nobre nos Estados Unidos, e que podem acompanhar por cá no canal TV Séries. Com o selo dos criadores de The Wire, reúne um elenco de grandes actores e muitas caras conhecidas, de entre os quais os protagonistas: James Franco e Maggie Gyllenhaal. O nome da série tem origem numa esquina de Times Square, bairro que a inspira e serve de cenário.

A série percorre a década de 1970 e 1980 de Manhattan, uma época de prostituição e afirmação da indústria pornográfica, iconicamente caracterizada por Travis Bickle (Robert DeNiro) no filme Taxi Driver de Martin Scorsese.

All the animals come out at night – whores, skunk pussies, buggers, queens, fairies, dopers, junkies, sick, venal. Someday a real rain will come and wash all this scum off the streets.

Não é uma série fácil para as mentes mais fechadas ou impressionáveis. Todos os episódios são extremamente gráficos, recheados de violência física e psicológica, e momentos demasiado realistas. Explora-se a relação prostituta/chulo, enquanto algumas personagens fazem o papel de audiência: tal como nós, que assistimos a série no sofá, há uma jornalista e uma estudante que querem verdadeiramente compreender o que leva uma mulher a optar por tal estilo de vida, de livre e espontânea vontade. Especialmente quando presenciamos a crise existencialista de um proxeneta sem escrúpulos, que diz sentir-se incompreendido e sozinho contra a maré, enquanto as suas prostitutas pensam traí-lo.

This is my job, diz Candy (Maggie Gyllenhaal) enquanto explica o seu modelo de negócio a um cliente. É um trabalho como qualquer outro e ela é – acima de tudo – uma profissional.

Candy é também uma doçura, tal como o seu nome, uma mãe solteira que tenta sobreviver. Trabalha como freelancer, sem intermediários, porque quer manter a sua independência e ser a única a lucrar com o seu trabalho, mas mais ainda porque quer evitar a subjugação. Navega pela vida com extrema e estranha serenidade, vai alimentando um recente interesse pela indústria cinematográfica – mais concretamente a pornográfica. É uma personagem cujo arco ainda nos irá surpreender, que não procura redenção mas sofrerá seguramente uma transformação.

Maggie Gyllenhaal divide o protagonismo com James Franco, com a sua personagem Vincent Martino.

Vincent é um barman empreendedor perseguido pelas dívidas de jogo do irmão e que capta a atenção da máfia nova-iorquina. Envolve-se nos negócios ilícitos destes e acaba por se tornar o rosto “legal” de negócios honestos. Domina a noite, dá-se com todos, e recebe no bar todos os géneros de pessoas, sendo a clientela dominada pelos noctívagos.

The Deuce explora as relações de poder: prostitutas vs proxenetas, polícias corruptos vs polícias honestos, mafiosos vs lei. Explora também a cidade de Nova Iorque numa época de mudança, em que a agitação social e económica exigem o termo da degradação humana.

A série estreou em Setembro de 2017 e a estreia da segunda temporada em 2018 foi anunciada pouco depois.


sobre o autor

Isabel Leirós

"Oh, there is thunder in our hearts" - Fernando Pessoa (Ver mais artigos)

Partilha com os teus amigos