As 25 melhores “perninhas” musicais nos Simpsons

por Arte-Factos em 12 Setembro, 2014

Os Simpsons celebram o seu 25º aniversário. Por nos terem feito rir incontrolavelmente durante quatro temporadas e com moderado entusiasmo durante as restantes, o Arte-Factos decidiu compilar as 25 melhores prestações de músicos ao longo da série. Como qualquer lista, também esta está sujeita a critérios subjectivos e que só reflectem a nossa opinião. No entanto, saibam que nós estamos certos e vocês errados.

25. Ron TaylorMoaning Lisa
Seria uma desfeita demasiado grande não incluir nesta lista o homem que começou tudo. Quando o Ron Taylor surge para ajudar a Lisa a lidar com a depressão pré-adolescente que aflige qualquer aluno do segundo ano, as sementes estavam lançadas para uma longa relação entre a família Simpson e uma panóplia de convidados musicais. “ You play pretty well for someone with no real problems,” é um clássico. “Bleeding Gums” Murphy, o personagem que interpreta, ainda voltaria a Springfield na sexta temporada em “Round Springfield”, mas este é o seu melhor momento.

24. Barry WhiteWhacking Day e Krusty Gets Cancelled
Na sua primeira aparição, o profeta do amor, “Larry” White, está em Springfield para o anual Whacking Day, um dia em que todos os habitantes agarram numa moca e atingem a cobra mais perto. É a voz de White que acaba por salvar os répteis rastejantes e tudo acaba bem graças à voz profunda do cantor. Voltamos a vê-lo ainda na mesma temporada no programa “Springfield Squares”no início de Krusty Gets Cancelled. Um maremoto atinge a praia onde o programa está a ser gravado e todos os participantes procuram refúgio junto do músico onde é “seguro e sexy”.

23. Flight of The ConchordsElementary School Musical
Parte do episódio envolve o Krusty ganhar o prémio Nobel da Paz, viajar para Olso, descobrir que foi tudo uma artimanha, que está antes na Holanda para ser julgado por crimes cometidos na Europa e ser absolvido por ter sido responsável pela libertação do Nelson Mandela. Nada disso interessa para o caso, porque os Flight of the Conchords não são visto nem achados nestas tropelias. São antes os monitores do acampamento de artistas onde a Lisa aprende que ninguém quer saber dos que fazem arte. Durante os minutos gloriosos em que estão no ecrã é como ver um episódio de “Flight of The Conchords” animado. O que diz algo sobre o estado dos “Simpsons” nas últimas temporadas, quando o melhor elogio que se pode fazer a um episódio é que parecia ser de outra série.

22.Metallica – The Mook, the Chef, the Wife and Her Homer
É a caminho da Escola Elementar de Springfield, que Otto, condutor do autocarro escolar, encontra a banda à beira da estrada. Apeados, com o seu próprio veículo avariado, o fervoroso fã prepara-se para lhes dar boleia quando Bart toma de assalto o autocarro e o humilha em frente à banda. Sem perdoar, e já instalados na traseira da carrinha de Moleman, que aparentemente dormiu com a avó de Lars, os Metallica afastam-se a tocar o início da Master of Puppets.

21.Spinal TapThe Otto Show
É o primeiro concerto do primogénito da família Simpson e os Spinal Tap vieram a Springfield. A banda que parodia outras bandas demasiado bem influencia o jovem Bart a ser uma estrela rock e a elevar o som até 11. É a sequela a “This is Spinal Tap” que nunca tivemos.

20.’N Sync – New Kids on the Blecch
No episódio em que Bart se junta a Nelson, Ralph e Millhouse para formarem uma boyband de sucesso, os The Party Posse, é o encontro com os ‘N Sync que vale a pena mencionar, com a entrada majestosa da banda e o cumprimento de Justin Timberlake: Word!. Ou na divertida dobragem em espanhol ¡palabra!.

19.StingRadio Bart
Quando Bart Simpson engana a cidade de Springfield  a acreditar que está um rapazinho preso num poço, uma onda de solidariedade invade os springfildeanos(?). Daí a que um grupo de celebridades a que se junta Sting façam uma canção à la “We Are The World” vai um passinho. “Sending our love down the well” é uma canção emocionada em honra de um pobre rapazinho imaginário preso num poço e o episódio acaba por colocar a questão que está na cabeça de toda a gente: Como é que cantar sobre alguma coisa ajuda de que maneira for? Ainda há fome em África? Bem me parecia.

18. Blink-182 – Barting Over
Parecem ser altamente as festas dadas pelo profissional do skate Tony Hawk. Principalmente quando são nos Simpsons e os Blink-182 estão no palco a tocar a All The Small Things. Feridos no orgulho por Hawk não saber os seus nomes, combinam destruir tudo, mas só após serem pagos, claro.

17. Ringo StarrBrush With Greatness
Na escolha do nosso Beatle favorito há uma opção errada. E o segundo baterista dos Beatles é essa opção. Mas o Ringo Starr tem alguns aspectos redentores: o melhor nome de sempre, os afectos adolescentes da Marge Simpson e a dedicação para responder a correio de fãs vinte anos depois – a menos que seja enviado depois de 20 de Outubro de 2008.

16. Red Hot Chili Peppers – Krusty Gets Kancelled
Quando a carreira de Krusty parece acabada com o cancelamento do seu programa, a solução passa por um regresso especial, com vários convidados. Os Red Hot Chili Peppers são um desses convidados e são confrontados no backstage com um pedido invulgar, a alteração da letra de “Give It Way”. Abraçada a ideia de “What I like is I like to hug and kiss you” em vez de “What I’ve got you’ve got to get it put it in you”, a banda prossegue a sua actuação, em roupa interior, como se espera que seja sempre.

15. Zooey DeschanelApocalypse Cow, Moonshine RiverLove is a Many-Splintered Thing
Zooey Deschanel foi convidada em três ocasiões e por isso tem que fazer parte desta lista. A actriz mais vezes nomeada na categoria de “ aquela não é a Katy Perry?” surge pela primeira vez em toda a sua glória animada na temporada 19 e havia de duplicar a dose na temporada 22, aparecendo em mais dois episódios como Mary Spuckler, filha dos hillbillys residentes e apaixonada do jovem Bart. Enquanto Mary, Deschanel tem direito a piadas genuinamente divertidas como ainda canta e toca guitarra.

14.Judas Priest – Steal This Episode
Ah, a polémica. Quando no início deste ano os Judas Priest fizeram uma aparição nos Simpsons, com uma paródia do seu tema Breaking The Law (a banda surge com “Respecting the law: copyright law!”), foram apresentados como uma banda de death metal. Não demorou muito até que caísse toda a gente em cima dos escritores, de tal maneira que, o pedido de desculpa veio logo no episódio seguinte apresentado bem ao estilo da série, com Bart a escrever várias vezes no quadro negro da escola “Judas Priest is not death metal”.

13.George HarrisonHomer’s Barbershop Quartet
Ó George, até já podias ter encontrado Jesus por esta altura, mas continuavas a ser o Beatle mais divertido. Num episódio com cameos adicionais dos The Dapper Dans e do David Crosby – também não estou a ver –, é a curta aparição do guitarrista dos Fab Four que torna memorável o episódio em que os “Be Sharps” parodiam a carreira dos Beatles . Completo com um último concerto no telhado que Harrison comenta com um seco “já foi feito”

12.Coldplay – Million Dollar Maybe
O episódio em que Homer recusa fazer parte dos Coldplay. Mais a sério, a banda é contratada por Homer (num dos vários gastos que faz após ganhar a lotaria, sem que Marge o saiba), e aparece a tocar parte da música Viva La Vida numa arena vazia, antes de serem interrompidos por Bart, que precisa de uma pausa para ir à casa de banho, e depois pelo próprio Homer.

11.Ludacris – You Kent Always Say What You Want
O rapper Ludacris aparece em dois papéis neste episódio, uma como ele próprio, outra sob o pseudónimo Luda-Crest, com uma mensagem muito importante num anúncio de propaganda de higiene oral, da Menace Tooth Society. O melhor mesmo é verem.

10.Sigur Rós – The Saga Of Carl
Responsáveis por musicar o episódio The Saga Of Carl, os Sigur Rós fazem também aqui uma breve aparição como eles próprios, no meio de uma multidão, no seu país natal.

9.White Stripes – Jazzy & the Pussycat
Em retrospectiva, o mais interessante é pensar que estes eram uns White Stripes pré “Ooooh oh-oh-oooh Oooooh Oooooh Ooooooh”, também conhecida por “Seven Nation Army”. No episódio, enquanto o Bart está a tocar a “Hardest Button to Button” na bateria nas ruas da cidade de Springfield, os White Stripes aparecem numa cena alusiva ao videoclipe da música. Baterias são destruídas e a cena termina com uma perseguição em stop motion que acaba mal para a banda de Detroit.

8.Smashing Pumpkins – Homerpalooza
Para atiçar a pequena grande disputa entre Billy Corgan e Courtney Love (#teamninguémquersaber), há no episódio “Homerpalooza” um pequeno encontro entre o primeiro e Homer, que pelos vistos estava destinado inicialmente para Love. O que interessa realmente reter aqui é o farto diálogo que surge:

Billy Corgan: “Billy Corgan, Smashing Pumpkins.”
Homer: “Homer Simpson, smiling politely.”

7.The WhoA Tale of Two Springsteens
Quando Sprinfield é dividida em duas por uma companhia de telefones que atribui indicativos distintos às duas zonas da cidade, cria-se uma cisão entre os 636 e os 939. Nova Springfield, dos 939, separa-se da Velha Springfield e Homer torna-se o seu presidente. As duas entram em competição pela melhor Springfield, mas rapidamente se percebe que Nova Springfield não está na mesma liga. Até aos The Who chegarem à cidade para um concerto exclusivo. “New Springfield Rules!”

6. Kid Rock – Kill the Alligator and RunO que pode haver de melhor para ilustrar umas férias da páscoa americanas que um concerto de Kid Rock? O músico, acompanhado de Joe C., faz uma aparição no evento onde o Homer está após escapulir-se de um aborrecido hotel.

5. R.E.M. Homer the Moe
Contratados para tocar no bar improvisado de Homer (na verdade, a sua garagem), os REM de Michael Stipe vêem o seu sucesso It’s the End of the World as We Know It (And I Feel Fine) ser ofuscado pela versão do anfitrião, cantada a plenos pulmões. Por isso, e pela dança de Lenny e de Carl, para sermos honestos.


3 & 4. Mick Jagger +
Keith Richards – How I Spent My Strummer Vacation
Levado de surpresa pela sua família para um campo de férias onde pode experienciar a vida de estrela de rock, Homer e restantes companheiros em crise de meia idade são recebidos pelos ilustres Mick Jagger e Keith Richards, com toda a pompa e circunstância que a situação merece. Um cameo tão bom que são dois. Diz que há pirotecnia e tudo.

2. The RamonesRosebud
Para além dos autores de Blitzkrieg Bop o melhor deste episódio é servir como história de origem da encarnação do mal em que se tornou Mr. Burns.

Na festa do seu 803º aniversário – presumivelmente – o magnata de Springfield contracta uma banda de jovens inexperientes que haveria de ir longe para tocarem na ocasião.

No espírito do punk-rock o concerto começa com Joey Ramone a dizer “this gig sucks.” A punchline é ouvir o Mr. Burns  encomendar o assassinato dos Rolling Stones. Porque, ah-ah, os velhinhos não sabem coisas sobre música pop.

1. Michael JacksonStark Raving Dad
Não é claro quando estamos a ouvir Michael Jackson no episódio de estreia da terceira temporada. Leon Kompowsky é um paciente num asilo psiquiatra que julga ser o Rei da Pop e para ajudar à loucura é interpretado por três actores, Hank Azaria, Kipp Lennon e John Jay Smith.

“Quem?”, perguntam vocês não reconhecendo os últimos dois nomes.

Kipp Lennon é um imitador profissional do Michael Jackson e John Jay Smith é o próprio sobre um nome falso. O que sabemos é que a canção que  Leon canta a Lisa no seu aniversário foi escrita por Michael Jackson, mas infelizmente não foi ele que a cantou. Não que isso interesse, a imitação está irrepreensível e a canção é exactamente o que seria de esperar. No entanto, ter um Michael Jackson no quarto de uma criança a meio da noite talvez não tenha sido a melhor escolha em retrospectiva. Ah, anacronismos.


sobre o autor

Arte-Factos

A Arte-Factos é uma revista online fundada em Abril de 2010 por um grupo de jovens interessados em cultura.

(Ver mais artigos)

Partilha com os teus amigos