MENUMENU

Reportagem


Wolf Alice

Lobos formidavelmente fixes

NOS Alive

13/07/2018


“We’re Wolf Alice from London; It’s good to be back.”

Quem o disse foi Ellie Roswell, figura de seu género dentro da alcateia dos Wolf Alice. A banda entra à hora marcada no Palco Sagres e é como se ainda fosse 2016, ano em que se estrearam em Portugal e no NOS Alive.

No tempo que passou, a My Love Is Cool, juntou-se Visions of a Life, álbum lançado em Setembro do ano passado e que dividira irmamente com o antecessor o bolo do alinhamento do concerto de ontem.

No momento em que ”Yuk Fu”sucede  a “Your Love’s Whore” já os londrinos têm o concerto engatado em quinta. A solidariedade do público em fazer a sua parte garante que o ímpeto não correria riscos de esmorecer. Ajudou que em palco a banda fosse pela calada perdendo a cabeça. Quando olhamos para o guitarrista Joff Oddie durante um solo é claro que já não está completamente ali.

Um dos melhores momentos em palco viria com a bonita “Don’t Delete The Kisses,” primeira oportunidade para o público emprestar robustez aos refrães.“I love you over there, on the top of the shoulders,” dizia o baixista “ I could hear you over here.”

“Alright, this song is called ‘Lisbon’,” anunciava-se perante uma chuva de aplausos que será mérito do tema, mas também da localização geográfica.

Roswell estava a jogar em God Mode a cada agudo conseguido. “Fluffy” e “Giant Peach” terminam um concerto cheio de entrega em palco e fora dele em nota roque-éne-role maior de sétima.

Por nós, ano sim, ano não, até parece pouco amiúde.

Galeria


(Fotos por Hugo Rodrigues)

sobre o autor

Jorge De Almeida

Partilha com os teus amigos