MENUMENU

Reportagem


Conjunto!Evite + Davide Lobão

O final da noite bem poderia ter sido passado a apanhar os cacos da loiça que ali foi partida.

Sabotage Club

10/11/2016


© Helena Quinta

10 de Novembro de 2016. Local: Sabotage Club. Motivo: apresentação do novo EP dos Conjunto!Evite, Ondas e Marés. Bem que este poderia ser o início de uma qualquer reportagem sobre o que aconteceu nessa noite pelos lados do Cais do Sodré. Mas deixemos esses formalismos para outras ocasiões, sejamos directos ao assunto e digamos antes que a festa foi tão rija que o final da noite bem poderia ter sido passado a apanhar os cacos da loiça que ali foi partida.

Com os devidos atrasos dignos das noites de rock’n’roll, arrancamos ao som de Davide Lobão. O músico conhecido de projectos como O Bisonte ou Granada apresentava-se num registo mais calmo e tranquilo, a solo, fazendo-se acompanhar apenas por uma guitarra acústica e uma elétrica e sem nunca enveredar pelas impuras distorções, bem presentes nos outros projectos. Apresentando um leque de músicas bem calmas e confessando não perceber como ainda lhe permitem a entrada num bar rock para as tocar, mostrou-se disponível para o continuar a fazer enquanto não lhe barrarem a entrada, confessando também que não era fácil encontrar as suas músicas na internet. Não há página no Facebook, não haviam cd’s para venda no final, nada. A partilha seria unicamente de entrega ao público sem requerer nada em troca. Ainda assim pudemos ouvir algumas versões de músicas dos seus projectos mais conhecidos e entre a audiência ouviu-se também trautear essas mesmas canções.

© Helena Quinta

© Helena Quinta

De todo não foi uma noite de má audiência, tanto em termos quantitativos, como muito mais em termos qualitativos e perto do momento dos senhores da noite, os Conjunto!Evite subirem ao palco, a sala estava muito bem composta e a expectativa em altas.

Chegado era o momento. Os teclados psicadélicos, a bateria pujante, o baixo seguro e elaborado e a guitarra cheia de riffs de ficar no ouvido começavam a fazer-se soar. O concerto era para a apresentação do pequenino novo EP da banda, mas era óbvio que ninguém na sala esperava ouvir apenas as duas músicas que o constituem.

Arrancaram com a bem dançante Doutor Simão, do EP, mas o seguimento da setlist fugiu logo a partir daí ao mesmo, contando com Fabiana e a já velhinha (para quem acompanha a banda desde os primórdios) A 12 Degraus do Purgatório, instrumental que facilmente pode provocar torcicolos.

© Helena Quinta

© Helena Quinta

As viagens para planetas presentes nos desenhos animados que muitos de nós acompanhámos na infância e adolescência também foram devidamente feitas, com Suburbano para Namek. O concerto acabaria com um enorme agradecimento da banda a todos os presentes, à sala e a Davide Lobão que “tinha dado a perninha” de fazer a primeira parte da festa, terminando já para lá da 1 da manhã com Ondas e Marés, a qual confessaram ser uma música que não aborda um tema muito feliz.

Já com alguns anos a tocar juntos a banda demonstra grande entrosamento e a cada nova música mostra-se também mais crescida e madura, sem nunca perder a pujança e a irreverência que os faz misturar de forma exímia vários estilos musicais, para além de terem mostrado que a noite tinha sido bem preparada e ensaiada com interligações entre músicas, passagens dignas de excitarem a audiência e secções de dinâmicas muito bem concebidas. Ficamos à espera então dos ainda não anunciados, mas previstos, concertos que prometeram ter na calha.


sobre o autor

Joao Neves

Partilha com os teus amigos