MÚSICAS DA SEMANA

#213

com

Then They Flew

Partilha com os teus amigos
© Cláudia Andrade

Escolhas de Then They Flew

©Marc Lemoine

Caspian - Castles High, Marble Bright

Comecemos pelo óbvio. Os Caspian são uma das bandas mais consensuais entre nós, e foi uma honra quando o nosso Stable as the Earth Stops Spinning partilhou alguns tops de 2015 com o Dust and Disquiet. Esta semana presentearam-nos com este vídeo belo, que já revimos muitas vezes. Dá-nos saudade dos concertos e faz-nos ansiar pelo que aí vem. E não se esqueçam “If there’s a storm, let it rage. It will resolve into calm“.

Oathbreaker - 10:56 / Second Son of R.

Um épico cativante do novíssimo “Rheia” dos Oathbreaker, álbum que não se prende ao que é expectável do género. É um álbum de extremos: consegue ser sombrio e luminoso, protector e aterrador, delicado e cruel. Estes extremos reflectem-se na dinâmica, no timbre, na tensão e fazem com que o álbum surpreenda a cada passagem.

Grandfather's House - My Love

Desde que partilhámos uma noite no Musicbox com este trio que ficámos fãs. O som ao vivo surpreende de tão envolvente que é. Se puderem ir vê-los, vão. Quando lançaram este segundo vídeo, voltámos a ouvir. Um abraço para esta malta.

Bon Iver - 715 - CR∑∑KS

Bon Iver é outro que não só rompe os moldes da canção pop como rompe os seus próprios moldes. Este novo álbum é diferente do anterior, que já era diferente do anterior. Aqui num tema a capella, harmonizado electronicamente a fazer lembrar a “Hide & Seek” de Imogen Heap, faz-nos procurar novos caminhos de modelação sonora que a nossa música exige.

Ephel Duath - Praha (Ancient Gold)

Andamos a preparar o nosso segundo álbum e parte desse trabalho é vasculhar os nossos catálogos musicais. De entre muitas opções, decidimos partilhar este tema que percorre vários espectros sonoros, vários estilos, diferentes velocidades, porque nem sabemos muito bem como é este novo álbum vai soar. Ou, se calhar, sabemos.

Escolhas de Hugo Rodrigues

65daysofstatic – Red Parallax

O Jameson Urban Routes termina hoje mas, na passada quinta-feira, fez com que o Musicbox acolhesse os 65daysofstatic, para um belo serão. A mistura de pós-rock e electrónica dos britânicos resulta bastante bem e as músicas do novo disco soam ainda melhor ao vivo.

Mikal Cronin – See it my way

Estamos no final de Outubro e depois de o Outono ter feito uma breve aparição, o calor regressou para uns belos dias e noites de Verão, e é sempre a isso que associo o Mikal Cronin.

Thursday – War All The Time

A recordação desta semana foi para os Thursday e para o desenterrar do War All The Time.

La Dispute – For Mayor in Splitsville

Semana de também recuperar a excelente discografia dos La Dispute. Já estava na altura de mandarem álbum novo cá para fora.

Touché Amoré - New Halloween

O Stage Four dos Touché Amoré continua a rodar por aqui repetidamente e estará seguramente no meu top de discos deste ano. Deixo a New Halloween como referência temporal.

Escolhas de Carlos Vieira Pinto

Deakin - Just Am

Os Animal Collective são um dos nomes mais polarizadores da música pop dos últimos 15 anos. Dizem que ou se ama ou se odeia. Eu sou a prova de que não é bem assim. O Deakin é basicamente o Ringo dos Animal Collective e editou este ano o seu primeiro disco a solo, Sleep Cycle.

Metallica - My Friend Of Misery

Sempre fui um “metaleiro” atípico. Ouvia música de peso há já muitos anos quando resolvi dar uma oportunidade aos Metallica. Como não poderia deixar de ser rendi-me q.b. aos primeiros quatro discos. Esta semana, não sei por que raio, decidi dar uma oportunidade ao trio de discos rock da banda – “Black Album”, Load e Reload – e constatei o óbvio. São discos fracos. No entanto, em 39 canções há sempre um punhado de coisas giras. Esta é uma delas.

Cass McCombs - In A Chinese Alley

Fosse mais conciso e Mangy Love, de Cass McCombs, poderia ser um dos discos do ano. Ainda assim, é um belo conjunto de boas canções. A que mais roda por aí é a Opposite House mas eu resolvi pegar nesta In A Chinese Alley que tem uma vibe muito 80’s. Uma pérola de nostalgia.

Jonathan Uliel Saldanha - Train Tunnel/Crain Dub

Não é bem uma música da semana, pois é impossível fragmentar Tunnel Vision, o disco que Jonathan Saldanha editou há umas semanas. É uma chamada de atenção para irem ouvir um dos músicos mais interessantes da música portuguesa.

DB - #150mL

Como falta hip-hop nesta lista – e aproveitando o anúncio do terceiro disco do Conjunto Corona – fica esta banda-sonora de uma ida ao McDrive de Gaia. 4400, OG, claro está.


sobre o autor

Arte-Factos

A Arte-Factos é uma revista online fundada em Abril de 2010 por um grupo de jovens interessados em cultura.

(Ver mais artigos)

Partilha com os teus amigos