MENUMENU

Steelheart

Through Worlds of Stardust
2017 | Frontiers Records | Hard rock

Partilha com os teus amigos

Os Steelheart foram uma banda que podia estar destinada para o sucesso se não tivessem chegado tarde demais. Foi ao entrar na década de 90 que apresentaram o interessante auto-intitulado disco de estreia, que devia ter saído na década anterior. Com o glam metal rentável a gastar os seus últimos cartuchos em 1990 com a “Cherry Pie”, esta banda do Connecticut chamou alguma atenção até si mas não conseguiu pegar a sério. Muita pena porque havia algo neles que os distinguia bem dos restantes gadelhudos de laca: a goela de Milijenco Matijevic não era como as outras.

Ainda veio um segundo álbum que não era mau – muito pelo contrário – mas soava a algo que devia ter sido lançado uns cinco anos antes. Acidentes em palco a parar a banda, um regresso quase a solo com “Wait”, que viveu sobretudo de um semi-hit (graças a um filme com o Mark Wahlberg) e da canção “Say No More” – e um tímido “Good 2B Alive” em 2008. Nem sequer uma discografia muito vasta têm. Mas chega-se a 2017 e temos Steelheart com o novo disco “Through Worlds of Stardust.”

E vêm com pouco propósito além de rockar aqueles que já estavam atentos na altura em que eles vinham atrasados. Concentram-se apenas na força das simples malhas de hard rock, com a vibe da década de 80, com as melodias do AOR, e com um músculo moderno injectado nos riffs dando-lhes uma frescura e um peso mais renovados. Soa bastante competente. E as baladinhas estão lá, claro. Quase todas seguidas até, com o alinhamento quase a dividir uma fase para cada lado, a poder ser o mais problemático aqui. O óbvio destaque continua a ser a voz de Matijevic, que já passou os cinquenta anos mas continua a impressionar ao atingir as notas mais altas. Não é um disco extraordinário, pode não vir a ser muito recordado, listado no final do ano ou sequer reconhecido. Mas para a malta nostálgica, que gosta de um bom hard rock como as velhas regras ditam, têm aqui com os Steelheart uns quarenta minutos bem passados.

Músicas em destaque:

Stream Line Savings, My Word, You Got Me Twisted

És capaz de gostar também de:

Motley Crue, Warrant, White Lion


sobre o autor

Christopher Monteiro

Partilha com os teus amigos