MENUMENU

Portal

Ion
2018 | Profound Lore | Death metal

Partilha com os teus amigos

Parece que andava tudo muito claro, muito airoso. Parecia que havia mais luz e claridade e que as coisas andavam mais calmas. É o que se sente ao longo de cinco anos sem uma nova edição dos Portal. Mas já nos chegou a nova peça aterradora que é “Ion” e cai de novo a treva e o breu sobre todos, cortesia destes misteriosos Australianos.

Ainda a assinar o mais psicótico death metal de que haja registo, os Portal apresentam aqui surpresas: para além da procura de mais musicalidade e escrita de canções no meio daquele caos, este “Ion” também é o seu registo mais polido e produzido. Em mera comparação aos anteriores, chamar-lhe um disco mais acessível seria inevitavelmente seguido de uma risada seca e sarcástica. Mas em “Ion”, é através de um som mais perceptível e de riffs mais complexos, que nos voltam a aterrorizar com algumas das estruturas mais esquizofrénicas e ainda uma atmosfera desconfortável. Continua medonho, diga-se que ainda é um monstro perigoso, talvez apenas com menos cabeças e braços.

Este novo conto de terror, na forma de música, que se apresenta em “Ion”, continua a ser um aglomerado de composições vanguardistas, agora com algum foco mais na canção individual, da escuridão e peso de um death metal, com um psicadelismo extraterrestre, paisagens sonoras pouco humanas e ainda espaço para técnica no que às guitarras e até à frenética bateria diz respeito. Elementos como o repetitivo riff que se alonga por “Phreqs” e é capaz de levar ao desespero ou os ruídos dos quais temos medo de nos aproximar como na interlúdica “Spores”, levam-nos para território familiar com os Portal. “Familiar” dentro dos possíveis que se possa considerar.

É talvez o primeiro disco na carreira dos Australianos que possa dividir alguns fãs, devido à nova abordagem mais limpa. Mas não se desviaram do seu rumo e continuam a causar pesadelos. Não é à toa que vão surgindo por aí bandas que tocam “à Portal” e “Ion” não deixa de ser mais uma prova que, destes, só existem mesmo uns.

Músicas em destaque:

Esp Ion Age, Phreqs, Olde Guarde

És capaz de gostar também de:

Impetuous Ritual, Ulcerate, Deathspell Omega


sobre o autor

Christopher Monteiro

Partilha com os teus amigos