Partilha com os teus amigos
Westworld
Título Português: O Mundo do Oeste | Ano: 1973 | Duração: 88m | Género: Sci-fi
País: EUA | Realizador: Michael Crichton | Elenco: Yul Brynner, Richard Benjamin, James Brolin

Michael Crichton é um reconhecido escritor e argumentista norte-americano, que ao longo da sua obra  foi apresentando uma certa inclinação para a ficção-científica, futuros distópicos, e cenários que nos levam a perguntar como é que alguém poderia achar aquilo boa ideia! Foi do génio de Crichton que saiu o universo do Jurassic Park, a série ER – Serviço de Urgência, e o romance Sphere (adaptado ao cinema em 1998).

Em 1973, ano de sucessos de bilheteira como 007-Vive e Deixa Morrer, Papillon, O Último Tango em Paris e O Exorcista, imortalizou-se com Westworld, um filme de ficção-científica protagonizado por Yul Brynner, Richard Benjamin e James Brolin – pai de Josh Brolin, com quem as semelhanças são inegáveis (até o cabelo!).

Delos é uma colónia de férias para os ricos que procuram emoções fortes. $1.000 por noite, dão direito à submersão em um de três mundos à escolha: o Romano, o Medieval ou o Velho Oeste (vulgo, faroeste). Estes mundos são povoados por andróides, que proporcionam aos hóspedes experiências reais do mundo que escolheram. «There are no rules. Do not be afraid of hurting anything. Nothing can go wrong.», ouve-se à chegada.

A narrativa principal decorre no Velho Oeste, em que os amigos Peter Martin e John Blane se deleitam com noitadas no saloon, cavalgadas e até tiroteios.  Enquanto os hóspedes se divertem, nos túneis subterrâneos uma equipa bem humana assegura o bom funcionamento do ecossistema artificial. As férias estão a ser incríveis e o realismo é impressionante, até ao dia em que os andróides começam a revelar comportamentos “estranhos” e contrários à sua programação. Claro está que, em menos de nada, as férias de sonho se tornam num caso de polícia. Aos quarenta anos de idade, parece-me evidente que Westworld já não é um filme espectacular a olhos como os nossos, que já viram um pouco de tudo. Mas a ideia de não haver fuga possível a máquinas conscientes, é tão sufocante hoje como no dia em que o filme estreou.

Westworld deixou a sua marca na indústria: apesar de não haver grandes efeitos especiais, foi o primeiro filme a recorrer a CGI; são inegáveis as semelhanças com a narrativa de Jurassic World; em 1978, John Carpenter inspirou-se nesta obra-prima do cinema para o seu Halloween. Deixou ainda um legado de uma sequela – Futureworld (1978) – e a série Beyond Westworld (1980), mas que não se aproximam sequer do estatuto de culto que o filme adquiriu.

Para este ano de 2015, está prevista a estreia de uma nova série da HBO, também intitulada Westworld e baseada na criação de Michael Crichton. Jonathan Nolan e J. J. Abrams lideram a equipa de produção, sendo o elenco constituído por Anthony Hopkins, Ed Harris, James Marsden, Evan Rachel Wood, Miranda Otto, Rodrigo Santoro e Shannon Woodward.


sobre o autor

Isabel

Escreve sobre Cinema e Séries por aqui. Fala de música em rum.pt/shows/monitor. (Ver mais artigos)

Partilha com os teus amigos