MENUMENU
Partilha com os teus amigos
Lemale Et Ha’Halal
Título Português: Noiva Prometida | Ano: 2012 | Duração: 90m | Género: Drama, Romance
País: Israel | Realizador: Rama Burshtein | Elenco: Hadas Yaron, Yiftach Klein, Irit Sheleg

Muito do que nos chega de Israel diz respeito ao conflito externo, algo a que o cinema não será naturalmente alheio. Como tal, saúda-se os casos raros (ou pouco distribuídos entre nós) em que o foco é essencialmente interno. Foi o que sucedeu no ano passado com o interessante O Polícia, que abordava as convulsões políticas e sociais a nível exclusivamente nacional. É o que sucede neste A Noiva Prometida, que pega na ortodoxia de costumes das classes médias / altas mais conservadoras.

Esther morre no momento em que está a dar à luz. Quando, passados uns meses, surge a hipótese do marido (Yochay) e do filho emigrarem para a Bélgica, onde os espera uma nova pretendente / mãe adoptiva, os pais de Esther encetam um plano para o evitar. A ideia passa por desfazer o namoro da filha mais nova, Shira, e casá-la com Yochay.

Dado a embrulhada descrita anteriormente, a coisa podia resvalar para uma espécie de novela barata. Não é o caso… embalados pela música e rituais judaicos, vamos assitindo a um retrato relativamente complexo dos constangimentos amorosos, dos namoros por conveniência e da discriminação, na forma de piedade, em relação às mulheres solteiras. Não é também um filme panfletário, bem pelo contrário, o que, no caso, não é necessariamente bom. Rama Rumshtei acaba por exercer um papel demasiado neutro e descomprometido, demasiado distante, sem um ângulo claro sobre o tema. A história corre, não lhe apontamos grandes defeitos, mas falta uma chama capaz de entusiasmar.

É uma pena. A permissa é boa e o tema interessante, pelo que merecia um olhar mais incisivo e criativo.


sobre o autor

Joao Torgal

Partilha com os teus amigos