MENUMENU
Partilha com os teus amigos
Alien
Título Português: Alien - O 8º Passageiro | Ano: 1979 | Duração: 117m | Género: Horror, Ficção Científica
País: Estados Unidos, Reino Unido | Realizador: Ridley Scott | Elenco: Sigourney Weaver, Tom Skerritt, John Hurt

This is the worst shit that I’ve ever seen, man.

Estamos em Junho de 1979 e um já-não-tão jovem Ridley Scott estreia a sua segunda longa-metragem – Alien. Tal como o filme que se seguiu, Blade Runner, este tornou-se ao longo dos tempos um dos maiores marcos do cinema no seu género. A citação acima marca o primeiro diálogo do filme, ainda que também pudesse ser uma afirmação de alguém que acabou de ver o Alien Ressurection. O filme passa-se a bordo da nave de carga Nostromo e estamos no ano 2122. Acredito que, mesmo para a época, imaginar que a tecnologia do futuro seria aquela devia ser bastante triste e desanimador, mas voltemos ao que interessa.

alien

Ripley, for God’s sake, this is the first time that we’ve encountered a species like this. It has to go back. All sorts of tests have to be made.

A idiotice generalizada não foi uma inovação em Alien nem deixou de estar presente no cinema desde então. A tripulação não vê com bons olhos a presença de um ser extraterrestre a bordo, especialmente depois de se ter colado à face de um dos tripulantes, colocado um ovo dentro dele e dado à vida um bicho esquisito que matou o tripulante no processo, mas felizmente há alguém que não veja mal nisso. Todos os filmes de terror (não gosto da categoria, mas por falta de uma mais adequada) começam com decisões idiotas, felizmente isso é preservado no filme de Ridley Scott. Provavelmente o mais lógico seria amarrar o amável andróide Ash a qualquer coisa no início e a felicidade comum existia para todo o sempre, mas nestes filmes a lógica normalmente não se aplica.

alien

I admire its purity. A survivor…unclouded by conscience, remorse, or delusions of morality.

Falemos um pouco mais a sério, porque até agora não estou a dar muito a favor do filme. Alien é uma enorme referência, com mérito, dentro do género. Tem cenas memoráveis, como toda a sequência que ocorre dentro da nave alienígena, desde o esqueleto gigante aos ovos em série ou a do nascimento do Alien que entra na Nostromo. São sequências que se eternizaram e que vezes sem conta foram copiadas, sem grande sucesso. É fácil hoje voltar a Alien e, cansado de cópias intermináveis, desvalorizar o que ali foi feito, com a criação de um ser fantástico num ambiente e universo brilhantes, mas, com todo o respeito por quem o faz, essa é uma atitude idiota.

Primordial…deep cold…way below the line…

Para ajudar a perceber o porquê de Alien ser intemporal vamos olhar por um segundo para as sequelas. Nove anos após o original, chegou Aliens por James Cameron, sequela directa do filme de Ridley Scott. Há uma apropriação do mesmo universo, a história continua e nasce um filme mais ligado à acção e sem a mesma aura do anterior. Não sendo uma má sequela, acabou por ser apenas uma extensão mais violenta do que já tinha sido feito. As coisas ficam realmente feias quando chega Alien 3, pela mão de David Fincher. Não vou aborrecer ninguém a falar disto e muito menos da aberração que chegou em 1997 por Jean-Pierre Jeunet com Alien Ressurection. Como é que isto nos ajuda a valorizar o filme de Ridley Scott? Três fantásticos realizadores agarraram num muito bem-sucedido filme e nenhum deles conseguiu um resultado que replicasse metade da qualidade do primeiro. Nem o mesmo realizador conseguiu algo satisfatório quando tentou voltar ao mesmo universo com Prometheus, em 2012. Alien é um caso sério de qualidade ao longo do tempo.

alien

You are my lucky star. You… Lucky, lucky, lucky, lucky, lucky.

Estamos agora em 2016 e o Alien continua a ser das personagens mais icónicas do cinema, com um merecido lugar na história. Tivemos em 2012 o já aqui mencionado retomar do universo com Prometheus, em 2014 – Alien: Isolation – um videojogo desta nova geração e está agendado para 2017 Alien: Covenant, mais uma entrada na saga pela mão de Ridley Scott. A qualidade de todos estes filmes e de todas as histórias paralelas pode ser questionável, mas manter uma franchise com quase 40 anos em cima tão viva como esta é algo de fascinante. Quanto ao original, nunca vai deixar de ser satisfatório ver um homem vestido com um fato de Alien despedaçar de vários modos a tripulação daquela tão pouco funcional nave de carga.

This is Ripley, last survivor of the Nostromo, signing off.


sobre o autor

Sandro Cantante

Partilha com os teus amigos