MENUMENU

Olhares do Mediterrâneo: De 27 a 30 de Setembro

por Arte-Factos em 21 Setembro, 2018

São várias as realizadoras e elementos das equipas criativas que vão marcar presença na 5ª edição do Festival Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Femininoque se realiza no Cinema São Jorge, em Lisboa, de  27 a 30 de Setembro. O festival, que tem como objectivo exibir filmes nos quais mulheres dos países do Mediterrâneo tenham tido um papel fundamental na equipa criativa, vai contar com a presença de 11 realizadoras e vários actores, produtores e distribuidores em Lisboa.

Na secção Competição Geral, o distribuidor espanhol Jesús Soría apresenta El Color de la Sed, da realizadora Gala Gracia, curta que já foi seleccionada para vários festivais e que recebeu vários prémios, entre eles o de Melhor Curta-Metragem no The Blue Gold Festival, em Itália. O filme acompanha a vida de Medardo, um criador de rebanhos de uma zona isolada de Espanha, que vê a vida dos seus animais a deteriorar-se devido a secas intensas. Malou Lévêque, realizadora francesa que já teve um filme na 2.ª edição, altura em que também cá esteve, vem a Lisboa acompanhada pelos actores Christine Cardeur e Gaël Lévêque, apresentar o filme Dynamique et Motivé, uma curta de ficção que acompanha a vida de dois jovens, Luc e Luc. Já o produtor português de Odd é um Ovo, Luís da Matta Almeida, apresenta este filme realizado por Kristin Ulseth, uma co-produção entre Portugal e a Noruega, que já foi premiado como Melhor Curta de Animação no Tribeca Film Festival, nos EUA.

Dos filmes portugueses na competição geral, vão estar presentes as realizadoras Francisca Marvão e Tatiana Saavedra com a curta de ficção O Descanso na Intensidade das Cores, uma co-produção de Portugal e Roménia, filme que estreou na última edição do DocLisboa. Na área da animação, vão estar presentes Catarina Sobral com a sua curta de animação A Razão entre Dois Volumes, Joana Imaginário com o seu mais recente filme Tocadora, que já recebeu inúmeros prémios, entre eles o Prémio Nacional de Animação, e Daniela Fortuna com Habitado, filme premiado com Menção Honrosa no Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira.

Já na secção competitiva Travessias, que exibe filmes sobre migrações e histórias sobre êxodos, colocando em evidência o carácter contemporâneo e urgente do Olhares do Mediterrâneo, o festival recebe Esperanza Jorge e Inmaculada Antolínez, realizadoras do documentário Irioweniasi: El Hilo de la Luna. Esta co-produção de Marrocos, Espanha e Nigéria é sobre uma jovem nigeriana que demorou mais de três anos para sair da Nigéria e chegar à Europa, e que pelo caminho se cruzou com vítimas de tráfego humano. A realizadora libanesa Darine Hotait vai estar em Lisboa para apresentar a curta Like Salt, que nos conta uma narrativa sobre diáspora palestiniana, boxe e jazz.

Na secção Começar a Olhar, dedicada a filmes feitos em contexto escolar, vão estar presentes a realizadora espanhola María Álvarez Laínz, acompanhada também por vários elementos da equipa, de Hostia con Hache, curta premiada em quatro festivais, entre eles o Festival de Cortomertajes Contra la Violencia de Género, a libanesa Reem Samarani com o western The Demantlai’s, curta surreal sobre duas famílias que se odeiam e que vivem sob o mesmo tecto e, por fim, a realizadora portuguesa Madalena Rebelo, que apresenta Pesar, filme que recebeu o Prémio Especial do Júri no DocLisboa 017 – Verdes Anos, Curtas de Escola.

O Festival Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino é um projecto do grupo Olhares do Mediterrâneoe do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA).


sobre o autor

Arte-Factos

A Arte-Factos é uma revista online fundada em Abril de 2010 por um grupo de jovens interessados em cultura. (Ver mais artigos)

Partilha com os teus amigos