Han Solo e o papel de desportos mentais em filmes

por Arte-Factos em 17 Junho, 2018 © LucasFilm LTD/CC0

O papel dos desportos mentais em filmes sempre vai além de uma mera partida: eles podem servir para muitas funções diferentes. É possível injectar uma boa dose de tensão entre os heróis e os vilões, solucionar algum dos problemas apresentados pela trama e até mesmo demonstrar o amadurecimento de um personagem.

O filme Solo: A Star Wars Story, que acaba de ser lançado nos cinemas, contém duas grandes cenas com um desporto mental e é um dos melhores exemplos de como utilizar partidas para melhorar a história.

Elas são tão bem realizadas que nos fazem pensar em quais outros filmes clássicos conseguiram realizar este feito. De toda sorte, antes precisamos falar sobre o filme que deu origem a esta vontade. É impossível comentar sem contar alguns pequenos spoilers da trama principal, então estejam avisados!

Ambas as cenas do longa são relacionadas ao pazaak, um desporto mental fictício com cartas numeradas que podem ser atacadas com números negativos e positivos. É fácil aprender, mas não é necessário saber as regras para entender e apreciar o que acontece e o próprio filme não fala muito sobre elas.

No longa, as cenas com o pazaak consistem em disputas do desporto entre Han Solo e Lando Calrissian. Na primeira, apesar de um começo aparentemente promissor, Solo ainda não entende como as coisas realmente funcionam no complicado mundo de Lando e o resultado é a derrota.

Já a segunda partida ocorre apenas no final do filme. Antes da desforra começar, Solo mostra que aprendeu a se virar e já toma precauções para que a disputa ocorra de maneira justa. Obviamente, ele vence e o resultado serve para sedimentar sua relação de amizade com Lando e também para demonstrar o quanto o personagem evoluiu durante a jornada.

É impossível falar sobre o papel de desportos mentais em filmes sem mencionar o póquer. Existem poucos elementos de enredo que podem dar mais profundidade e emoção a uma cena do que ver um personagem disputar uma partida acirrada e o desporto sempre traz alguma novidade para manter-se relevante e actual.

Uma das partidas mais incríveis da história do cinema aparece no filme Casino Royale. Na trama, o agente James Bond precisa vencer o vilão Le Chiffre em uma disputa na qual o destino deste último depende completamente do resultado.

O confronto desenrola-se durante várias cenas, nas quais é possível perceber como os personagens pensam e agem sob pressão. Além disto, uma reviravolta no meio da partida também serve para mostrar novas alianças e o final do confronto resulta diretamente nos acontecimentos e acções dos personagens no terceiro arco do filme.

Outro clássico das telas que envolve o póquer é Maverick. Nele, o competidor Bret Maverick quer vencer o maior certame do desporto no Velho Oeste, mas infelizmente não possui fundos suficientes para cobrir a taxa de inscrição para a competição.

O filme acompanha sua jornada para conseguir pagar a taxa enquanto resolve uma série de problemas pelo caminho. Toda a trama tem início em uma partida com mais três personagens, que deixa repercussões que só são resolvidas no final do longa.

Foto: “The Seventh Seal” por Talia Felix/CC0

Além do póquer, outro desporto mental que costuma aparecer no cinema é o xadrez. A partida mais célebre no grande ecrã ocorre em The Seventh Seal, filme escrito e dirigido pelo aclamado realizador Ingmar Bergman e amplamente considerado um dos grandes clássicos do cinema.

Toda a obra gira em torno de uma partida de xadrez entre um cavaleiro templário e uma personificação do ceifador, que ponderam sobre o significado da vida, do universo e outras questões filosóficas relevantes.

Nos filmes conjuntos dos X-Men os amigos e adversários Charles Xavier e Magneto também costumam aparecer disputando rodadas de xadrez. As cenas normalmente são reflexos dos confrontos apresentados nos longas e servem para que os antagonistas apresentem suas ideias e pontos de vista de uma maneira amigável e tensa ao mesmo tempo.

Independente do desporto mental que aparece no cinema, o embate que segue sempre é muito mais do que uma simples partida. As partidas normalmente servem apenas como pano de fundo para cumprir uma função maior e é sempre interessante assistir onde este recurso narrativo está a nos levar.

 

Artigo publicado em parceria.


sobre o autor

Arte-Factos

A Arte-Factos é uma revista online fundada em Abril de 2010 por um grupo de jovens interessados em cultura. (Ver mais artigos)

Partilha com os teus amigos