MENUMENU

The Men

Open Your Heart
2012 | Sacred Bones | Rock

Partilha com os teus amigos

Não deixa de ser interessante que uma banda como os The Men, em que em cada audição deixa à vista um cativante dinamismo, tenha lançado 3 álbuns nos últimos 3 anos. O segundo longa duração, Leave Home foi um dos melhores de 2011, com direito a presença nas listas de fim de ano.

Os The Men foram rápidos a criar o sucessor. A faixa inicial anuncia logo as diferenças: Open Your Heart é mais límpido do que o assalto sónico anterior. Logo na primeira canção (Turn It Around) a banda soa vital, a letra (“I wanna see you write a love song/ I wanna see you go down/ I wanna see you when you try so hard/ I wanna see you when you turn it around!”) disparada, antémica. No núcleo da canção, o espírito jovem do rock n’roll. Se Leave Home era mais difícil e aventureiro, enquanto Open Your Heart é um álbum mais luminoso, menos abrasivo, mais classicista, e mais imediato. O nome assenta-lhe na perfeição. É também um álbum onde se percepciona uma certa visão, que os inscreve numa linhagem de bandas que souberam combinar punk/hardcore e procura de experimentação (a que podemos chamar punk progressivo), como Wipers, Hüsker Dü ou Sonic Youth. Por outro lado também é verdade que aqui há um distanciamento menor das influências. Open Your Heart é indie rock no sentido original da palavra: a faixa título tem claras semelhanças com “Ever Fallen In Love” dos Buzzcocks, mas a la Dinosaur Jr. e Candy traz à memória os Replacements. Há Cube, uma explosão condensada em 2 minutos e meio), Oscillation, a fazer lembrar Sonic Youth e krautrock e “Ex-Dreams”, com um início reminiscente dos Hüsker Dü e Mark Perro a efectuar uma boa “Thurston Moore impersonation”.

Os The Men continuam aqui o seu percurso, lançam um bom álbum (mesmo que não perfeito) e mantêm a expectativa de que este não seja um ponto de chegada. Para aqueles a quem o imaginário convocado provoca imediato abrir de olhos e para os que se queixam de que o indie rock anda um bocadinho mortiço, é capaz de ser boa ideia meter este disco a tocar.


sobre o autor

Arte-Factos

A Arte-Factos é uma revista online fundada em Abril de 2010 por um grupo de jovens interessados em cultura. (Ver mais artigos)

Partilha com os teus amigos