MENUMENU

Super Clarks

Demo
2011 | Edição Autor | Indie Rock

Partilha com os teus amigos

Longe vão os tempos em que a expressão indie-rock não era usada para qualquer nova banda que surgisse depois da segunda metade dos anos 00. O termo, já por si dúbio, havia sido repescado dos anos 90 para descrever a nova face do rock que tinha à cabeça bandas como Arctic Monkeys e The Killers e desde aí perdeu-se numa salganhada de bandas que, ao mínimo laivo pop, eram besuntadas com o rótulo de indie.

É provável, pois então, que os Super Clarks e a Demo que agora disponibilizam surjam ligeiramente desenquadrados no tempo por uma meia dúzia de anos. Neste conjunto de quatro canções o termo “indie” é justificadamente bem empregue não fossem as influências de bandas como os, já referidos, Arctic Monkeys, mas também, The Kooks, The Strokes e, os mais recentes, Two Door Cinema Club bem patentes.

A abrir “ Interested, Not” , facilmente a melhor do conjunto, riffs orelhudos e upbeat com as guitarras a irem beber muito ao garage rock e um trabalho de bateria que amiúde se afirma como central, ora com ritmos mais tribais ora a pedir emprestado apontamentos estilísticos reminiscentes dos Police. Refrães pujantes que culminam numa parede de som entusiasmante tornam esta “Interested, Not” na mais acutilante faixa da Demo.

“Sideways by  ways” segue na mesma linha que a faixa que a precede, desta feita, acalmando um pouco os ânimos. Pormenor interessante e que deixaria o “lendário” produtor musical Bruce Dickinson, dos sketches do Saturday Night Live, orgulhoso é o destaque para o cowbell. Melodicamente os versos fluem calmamente e num estilo desprendido para os refrãos inebriantes.

“Unpleasent is far to kind” acaba por ser um momento de ruptura a meio desta primeira Demo. Se até agora era obvia uma clara opção de tornar as músicas melodicamente mais preenchidas, “Unpleasente …” e “ Hold On” são claramente mais despidas e trazem consigo a voz e, em particular, o baixo para a linha da frente.  Se à partida parece o momento mais intimista e calmo vai ganhando folgo e atrevimento e acaba por se transfigurar sem que se dê por ela.

“Hold On”, a primeira a ser disponibilizada pela banda, é a mais rockeira e conta, para isso, com um solo à altura. Momento mais evidente da influência de Kooks ,na voz, e de uma estética de aspecto lascivo que vai buscar influências ao desert  rock.

No geral, e porque não quero cair no lugar-comum de dizer na primeira amostra de que “há espaço para crescer”, os Super Clarks mostram já uma grande coesão e maturidade que contrasta com a aura “cool” daquilo que tocam e são capazes de trazer de volta aquela noção de Indie-rock que tínhamos quando primeiro ouvimos o termo sem que isso esbata a sua identidade.

A demo está disponível para download no bandcamp.


sobre o autor

Jorge De Almeida

Partilha com os teus amigos