MENUMENU

Musket

EP
2011 | Edição Autor | Indie

Partilha com os teus amigos

Formados em 2008, os Musket lançaram este ano os seus primeiros originais através de um EP, gravado nos Black Sheep Studios com a ajuda de Makoto Yagyu, Carlos B.B. e Fábio Jevelim na gravação e masterização. A banda define a sua música como uma mistura entre Dance e Punk, acabando por ser uma definição feliz que foge à etiqueta Indie que hoje parece englobar toda a música.

O EP da banda lisboeta é composto por quatro originais com sonoridades que fazem lembrar bandas como Klaxons ou Bloc Party. Para quem gostar deste EP, é certamente boa notícia que a banda, composta por Miguel Marinho, Ricardo Pires e Tomás Frias, esteja a trabalhar para lançar o primeiro álbum no próximo ano.

Just Say é a primeira música deste EP e um óptimo cartão de visita para a banda. É positivo saber, desde o primeiro momento, que os dois elementos a contribuir para a parte vocal da banda funcionam bem em conjunto, algo que seria essencial para que a música da banda funcionasse. O instrumental também está muito bem, revelando uma banda com vontade de se afirmar seguindo padrões modernos.

Segue-se One, Two e o nível do instrumental mantém-se, muito bem conseguido e mostrando um bom trabalho na guitarra e baixo, principalmente. Se a própria banda não tivesse adiantado uma definição da própria música, seria a altura ideal para referir a junção entre Punk e Dance que é notória ao longo das faixas. Talvez se encontre um furo abaixo da música anterior, mas nem por isso deixa estar bem.

Woods é a terceira música deste primeiro EP da banda e também talvez a mais fraca do mesmo. Não sendo desagradável de ouvir, é a que menos se destaca, tanto a nível vocal como a nível instrumental. É complicado não fugir a uma certa designação que se pode atribuir a uma quantidade de bandas Indie que vão aparecendo desde há uns anos para cá, soam todas quase ao mesmo. Não é necessariamente mau, mas não inova.

You Can’t Dance é a última faixa e retoma os ritmos mais animados das primeiras músicas, merecendo um lugar de destaque ao lado de Just Say. Uma guitarra decididamente mais inspirada que na última música e um grande trabalho no baixo e bateria a acompanhar, são a receita para uma música mais bem conseguida. É uma boa forma de terminar este primeiro EP dos Musket.

No geral, este é um início promissor da banda que agarra em aspectos de exemplos recentes de sucesso, sem se prender demasiado ao Indie. Como referido inicialmente, há mais de bandas como Klaxons ou Bloc Party do que de nomes como The Strokes ou Arcade Fire, que dominam aquilo que se poderia chamar música moderna. É bom que apareçam bandas como esta, ainda mais quando estamos a falar de bandas portuguesas. Não se pode dizer que está aqui uma banda com enorme potencial ou completamente revolucionária, pois estamos a tratar de um EP apenas. É a forma como a banda se apresenta e para tirar mais conclusões, é preciso esperar pelo primeiro álbum de originais. Até lá, é apoiar iniciativas deste género e ouvir o EP que se encontra disponível para download no bandcamp.


sobre o autor

Sandro Cantante

Partilha com os teus amigos