MENUMENU

Epica

The Solace System
2017 | Nuclear Blast | Metal Sinfónico

Partilha com os teus amigos

Depois de The Holographic Principle, editado em 2016, os holandeses Epica lançaram recentemente um EP de 6 faixas intitulado The Solace System, que funciona como uma extensão do registo que lançaram anteriormente.

A faixa que dá o tiro de partida é homónima do disco e com o coro de vozes na intro mais o seu instrumental, é aquilo a que os Epica nos habituaram. Partindo em várias direcções, este tema é rico em elementos e detalhes, contando com um refrão calmo e de fácil memorização, que faz com que “The Solace System” seja de fácil habituação, por ter um bom hook.

Fight Your Demons” é a música que se segue e inicia de forma irrequieta, rodopiando sobre si mesma. É uma faixa acelerada que abusa de solos de guitarra virtuosos e progressivos, numa quase batalha entre a voz de Simone com o instrumental grandioso, até alguém perder o fôlego.

Contrariamente, “Architect of Light” é um tema relativamente mais calmo e compassado. Com uma introdução solene, vão sendo adicionados elementos musicais de forma crescente e gradual, até que a mesma explode numa cruzada de vozes e instrumentos. Aqui, Simone Simons tem tempo para respirar, sendo que o conjunto de vozes tem um papel fulcral para dar intenção e ambiente ao tema.

Wheel of Destiny” é uma canção que começa de forma rápida mas vai amainando. Os guturais de Mark Jansen que intercalam com Simone Simons são um ponto-chave da canção, tornando-a mais densa.

Passamos a “Immortal Melancholy“, a balada deste conjunto. É um momento de acalmia que aparece no momento certo, perto do final do registo e para, possivelmente, nos preparar os ouvidos para um fecho arrebatador. Aqui, temos muito menos elementos na canção e isso chega. Se nas faixas anteriores tínhamos um som “cheio”, aqui bastou uma guitarra acústica, a voz de Simone Simons a desafiar os agudos e pouco mais. É talvez uma das mais simples mas eficazes canções que os Epica alguma vez fizeram.

O momento solene dá origem a uma explosão chamada “Decoded Poetry“, como era expectável. É dos temas mais rápidos, em que a trepidante percussão corre ao lado da voz mais rasgada de Jansen, havendo espaço para uns riffs maravilhosos e regressando à beleza na voz de Simons.

São 6 canções, todas elas de enorme calibre. É inegável toda a gigante produção a cada registo dos Epica. Para os apreciadores da banda, é um pequeno mimo de grande qualidade que mostra a banda em todo o seu esplendor. Som orquestral, voz divinal e grandiosa harmonia.


sobre o autor

Andreia Vieira da Silva

Partilha com os teus amigos