MENUMENU

Anneke Van Giersbergen

Everything is Changing
2012 | Agua Recordings | Pop Rock

Partilha com os teus amigos

Anneke Van Giersbergen é uma artista que tem coleccionado muito respeito dentro da cena metal mundial, e que prestes a completar 40 anos de existência no próximo ano, já possui um grande número de álbuns de estúdio sob o seu próprio nome (ou também Agua de Annique), com a banda que liderou, mas que abandonou em 2007, os The Gathering, e com os Ayreon. Inúmeras são também as colaborações desta talentosa cantora da Dinamarca, com bandas e artistas de renome tais como Napalm Death, Anathema e Devin Thownsend. Os Moonspell fazem igualmente parte deste rol, tendo Anneke participado na faixa “Scorpion Flower”, do álbum Night Eternal, de 2008, da banda portuguesa. Anneke juntou-se também à banda de Fernando Ribeiro para interpretar este tema, no Optimus Alive de 2009, onde actuaram no dia dedicado à música pesada, encabeçado por Metallica.

É, então, com grande expectativa que ouvimos este registo, tal é o curriculum desta artista. A primeira faixa, “Feel Alive”, é uma boa tirada, mas numa vertente mais Pop/Rock. “You Want to Be Free” segue-lhe o rumo, e não acrescenta muito. É nestas primeiras faixas que começamos a conhecer que caminho tomará o álbum, e que este se manterá numa versão mais leve.

“Take me Home” tem elementos que se aproximam da atmosfera The Gathering, é mais soturno, e era de um refrão destes que eu estava à espera. É a primeira highlight do disco. Pode ser impressão minha, mas há aqui algo que também pisca o olho a Cranberries, o que não é, de todo, mau.

“I Wake Up” também vai buscar um bocado do universo de The Gathering, e não é um tema tão óbvio e alegre como as faixas cimeiras do disco. É mais baladesca e romântica, assim como a seguinte “Circles”, onde apenas com um piano a acompanhar, Anneke faz uso da voz celestial que tem e debita considerações sobre a vida “And everyone is searching for the answers/ You close your eyes you’re ready to start over/ And again you leave the past behind”.

“My Boy” é uma perfeita música Pop/Rock a passar em horário nobre numa qualquer rádio. Mais uma vez soa a Cranberries, com uma Alanis Morissette pelo meio. Muito, muito catchy, até porque a letra também o é. “Hope, Pray, Dance, Play”, é um pouco sem sal. Melodia fácil, e um refrão que irrita um pouco. “Hope for me, pray for me/ One day I’ll be fine/ Dance with me, play with me/Never fall behind” parece um momento pouco inspirado, mas que tinha que ser incluído no álbum, por alguma razão.

“Slow Me Down” é talvez a outra ponta forte do disco, muito pelo mérito da voz de Anneke. É aqui que ela brilha, cristalina. Mais uma vez o tema é muito radio-friendly, e só chama mais a atenção por ter a vocalista que tem.

“1000 Miles Away From You” fecha este registo que contém ao todo 12 faixas e que consiste num dos trabalhos mais sólidos de Anneke Van Gierbergen. Sólido no sentido em que é um bom álbum de Pop-Rock. Talvez por Anneke estar tão intrinsecamente ligada à música pesada, se esperasse algo mais óbvio.

“Everything is Changing” é fácil de se ouvir, não tem nada de complexo ou difícil de digerir, tem letras simples, e óbvias. É uma sonoridade que se assemelha a de artistas como Andreas Johnsson ou Mansun, é um bom Pop-Rock.


sobre o autor

Andreia Vieira da Silva

Partilha com os teus amigos